sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Torricado com Requeijão da Quinta do Anjo e Chutney de tomate & pimentos assados





O torricado é não mais que um pão torrado e é originário da zona da Ribatejo, Santarém e afins. è um  prato típico da região do Ribatejo, tradicionalmente associado ao trabalho do campo, especialmente dos pescadores dos valados do Tejo.

Semelhante à Bruschetta esta é a versão internacional do pão torrado em Itália, consiste numa forma prática de cozinhar o pão, torrando-o e untando-o de azeite e alho. Apresenta-se habitualmente como acompanhamento de bacalhau grelhado, embora também seja usual como acompanhamento de sardinhas e carne.
Esta é a minha versão cá de casa, como petisco como uma entrada de uma refeição descontraída funciona bem.
Com um bom copo de vinho da nossa Quinta do Anjo temos assim a trilogia completa, Pão Queijo e Vinho


-Uma colher  de chutney de tomate & pimento assado (flavors - Sabores diferentes da nossa terra)
-Uma fatia de pão da Quinta do Anjo pode ser Palmira, "Solas" ou Ana Lúcia.
-Um  dente de alho, descascado
-Um pedaço de requeijão
-Azeite
-Sal

1- Torre o pão em fatias com uma espessura de 2 a 3 cm.

2- Depois de torrado regue o pão com azeite.

3- Enquanto quente, esfregue o pão com alho, se quiser polvilhe com sal.

4- Disponha um bom bocado de requeijão sobre o pão torrado

5- Por fim uma colher de chutney de tomate & pimentos assados

Servir logo com um bom copo de vinho tinto.

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

24homekitchen  & Flavors - Sabores diferentes da nossa terra





Neste momento temos o nosso conceito completo um blog onde falamos da arte de cozinhar  e de bem comer 24homekitchen e uma marca onde podemos mostrar algo mais concreto flavors


Uma dupla para os amantes da gastronomia as minhas paixões e gostos, espero que sejam do agrado de todos e espero que todos possam fazer e provar.....

Vamos continuar por aqui e vamos ainda este ano sair do mundo virtual....


quinta-feira, 11 de julho de 2013

Chutney de beterraba e queijo fresco



Agora que estamos no auge do Verão e na época do praia ou dos dias no campo, neste caso na nossa Serra do Louro nada melhor que uma Sandes para o farnel, pode levar para a praia embrulhado numa folha de alumínio bem fresquinha numa geladeira.....

As fatias de pão podem ser de pão branco ou de cereais pode ser de forma ou do género Bimbo ou ainda no pão da nossa Quinta do Anjo Solas, Palmira, Ana Lúcia, Galileu espero que me tenha lembrado de todos eu optei por pão de cereais, ops.....

1 Queijo fresco de ovelha  da Quinta do Anjo 
Chutney de beterraba maçã e gengibre
Mistura de Alfaces e rúcula
1 Tomate de cacho
2 Fatias de pão de cereais


1- Numa fatia colocar as alfaces e o tomate escolha alface de varias cores roxa e normal rúcula

2- Por cima colocar o tomate 

3- Colocar o Chutney e por fim o queijo fresco

4- Por cima outra fatia de pão

5- Fechar numa folha de alumínio e guardar no frigorifico 

Boa praia bom passeio pela Serra e bom apetite.........











terça-feira, 9 de julho de 2013

O novo 24Homekitchen



A minha ausência em colocar receitas e ideias neste Blog tem tido um motivo, tenho andado a pensar numa maneira de juntar o blog 24Homekitchen com outras ideias, com outros sonhos com outras "ilusões", com outros projectos, já ando neste processo há algum tempo. Tenho pensado, tenho analisado, tenho falado com varias pessoas e assim surgiu Flavors - Sabores diferentes da nossa terra, trata-se de um projecto comercial pois tem por objectivo a venda de chutney, relish, achar, pickles e compotas ou doces mas com novos sabores, especiarias.

Flavors - Sabores diferentes da nossa terra vai ser um complemento do 24HomeKitchen vai nascer assim um novo projecto Flavors - Sabores diferentes da nossa terra neste vamos vender, neste vamos ter um site e-commerce, aqui vamos continuar a falar de comida, vamos  falar da Maça Riscadinha,  do Queijo de Azeitão, do Pão, do vinho Moscatel, do tomate, do limão e de todos os produtos agrícolas da terra que me adotou, a Quinta do Anjo, vamos continuar a falar de receitas, vamos continuar a falar de comida. Vamos falar de novos sabores.

Aqui vamos falar dos nosso produtos, aqui vamos falar de produtos feitos com as nossas maravilhosas iguarias aqui vamos falar de comida, de pratos feitos com estes produtos, mas vamos usar diferentes sabores diferentes paladares, vamos introduzir pimenta, cardamomo, piri piri, noz moscada, cominhos, cravinho, açafrão e outras especiarias. Especiarias esses que foram descobertas e comercializadas pelos Portugueses no sec XV e XVI, e quem sabe se alguns dos marinheiros dos descobrimentos eram oriundos destas terras de Palmela.

Vou falar, vou confecionar e elaborar  novos pratos com novos condimentos, vou falar de novos produtos usando os produtos locais, usados ao longo de várias décadas mas que introduzi novos sabores, vou falar de um caril de frango com chutney de maçã riscadinha, de chutney de pera com vinho moscatel, vou falar de Queijo de Azeitão panado com doce de morango e malagueta, vou falar de molho de cogumelos com vinho Moscatel, vou falar de Achar de limão, vou falar de Cordon Bleu com queijo de Azeitão, vou falar de Pickles de beterraba, vou falar de Piccalilli, vou falar de Chutney de uva Moscatel, vou falar de sabores novos, vou falar de novas ideias, vou falar de novos sabores, vou falar de outros sabores.

Vou pois falar dos produtos da minha terra mas com um sabor diferente, este vai ser o espaço em que os produtos tradicionais vão dar origem a novos produtos, o Flavores vai pois ser um complemento.

Espero que consiga que o 24HomeKitchen continuem com o mesmo sucesso que teve até agora

Obrigado

segunda-feira, 17 de junho de 2013

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Hambúrguer com Relish de pimento vermelho e verde




Mais uma vez fiz para o jantar de ontem uns hambúrgueres no pão com relish de pimento vermelho assado é claro que para os miúdos foi o tradicional hambúrguer no prato que leva o meu tradicional molho de cogumelos com vinho moscatel.
Como já noutras mensagens escrevi sou eu que faço os meus próprios hamburguês baseado numa receita de um dos meus chefes preferidos, eu sei este tem mau feitio mas é um excelente cozinheiro, trata-se como é obvio de Gordon Ramsay, agora tem na SIC radical um fabuloso programa em que podem comprovar o que digo Gordon sem mau feitio e a ensinar.

400 gr de carne de vaca
400 gr de carne de porco
3 colheres de sopa de Ketchup
2 colheres de sopa de molho inglês ou molho Worcestershire
100 gr de cogumelos finamente picado
1 cebola grande finamente picada
Sal
Pimenta
1 colher de chá de alho em pó

1-Misturar todos os ingredientes numa tigela e moldar os hambúrgueres com a mão

2-Colocar no congelador antes de fritar



Para o hambúrguer no pão

1 saco de pão da Bimbo
Fatias de bacon
Queijo flamengo que não seja farinhento
Relish de pimento vermelho assado

1-Fritar o hambúrguer numa frigideira com óleo e margarina

2-Quando estiver frito por numa travessa para deixar repousar a carne.

3-Espalhar o  relish de pimento por cima do pão.

4-Colocar a carne e um fatia de queijo no pão e por um pouco no forno para derreter o queijo.

4-Por o bacon no fim tapar com a outra metade do pão e com um palito grande espetar para não cair.

5-Para enfeitar use uma azeitona verde com pimento espetada no palito e bacon bem frito e passado por papel absorvente

Bom apetite...........







terça-feira, 30 de abril de 2013

Ameijoas,  cadelinhas ou "canivetes" de Setúbal vai ver que é divertido cozinhar.




Para o seu dia feriado esta é uma boa receita para fazer com um vinho branco danossa Quinta do Anjo é fácil,  e da nossa península de Setúbal temos dos melhores bivalves, é só meter corda aos sapatos ou melhor é só ir ao mercado de Setúbal e comprar.
E quem pede, pode também fazer e vai ver que passa um bom dia na cozinha pois cozinhar é um excelente passatempo. 

1 saco de ameijoa
4 dentes de alho
1 folha de louro
Coentros
10 ml de azeite
1 colher de sopa de margarina
20 ml de vinho branco (que pode ser o mesmo que vai beber)
2 colhers de cha de mostarda (savora)
Limão cortado em quartos

1-Cortar os alhos e numa frigideira juntar o azeite e a margarina

2-Deixar fritar os alhos e antes de juntar as ameijoas juntar o vinho branco a mostarda o louro

3-Juntar as ameijoas e tapar por uns 2 a 3 minutos para abrirem

4-Desligar e polvilhar com os coentros bem picadinhos

Servir com torradas de pão da Quinta do Anjo com manteiga

Não esquecer de um bom vinho branco da nossa Quinta do Anjo.

Bom apetite e divirta-se na cozinha com um copo de vinho a acompanhar......



segunda-feira, 29 de abril de 2013

Canelones com requeijão da nossa terra e espinafres da horta




Penso que já tinha colocado uma mensagem aqui no meu blog de canelones com ricotta e espinafres desta fez fiz uma grande alteração, grande e saborosa alteração. Em vez do queijo ricotta, é claro coloquei o nosso requeijão de ovelha aqui da Quinta do Anjo,  e a meu ver ficou bastante bom, ficou melhor que quando foi  com o  queijo dos Italianos......
Os espinafres comprei no Manuel António o Marido da Leopoldina no praça da Quinta do Anjo ao sábado.

Canelones 10
2 requeijões 
1 molho de espinafres
100 gr de parmesão ralado
Azeite
4 dentes de alho
1 cebola
1 lata de tomate pelado
100 ml de tomate concentrado
Noz moscada
50 ml de vinho branco
1 colher de sopa de açúcar
Queijo mozarela


1-Estufar os espinafres em azeite e alho

2-Depois de desligado juntar o requeijão a noz moscada e o parmesão mexer bem e reservar.

3- Numa frigideira fazer o molho de tomate, junte alho cebola o louro e refoge, quando estiver translúcido juntar o tomate pelado e o concentrado, por fim um pouco de vinho branco, e para terminar o açúcar .

4- Fazer o molho bechamel 

5-Encher os canelones com o recheio 

6-Num pirex colocar o molho de tomate na base e por cima os canelones  e em cima o molho bechamel.

7-Queijo mozarela para gratinar

7- Colocar no forno a 160c durante 15 a 20 minutos.

Servir com uma salada 

Bom apetite........





sexta-feira, 26 de abril de 2013

Caril de camarão com chutney de pera e vinho moscatel



Nada mais saboroso que um caril de camarão, para mim é o melhor caril de todos pois o sabor do camarão juntamente com o caril é inconfundível, e como complemento um bom chutney de pera e vinho moscatel da-lhe um sabor frutado.

Deve comprar um bom camarão não compre os camarões de aquicultura ou vannamei pois não tem aquele sabor dos camarões de Madagáscar



Ingredientes:
1 colher de sopa de óleo
3 a 4 cebolas
3 Alhos
Vinagre 3 colheres de sopa
2 colher de sopa pasta de caril
1 lata de tomate pelado
500g de camarões descascados
Folhas de coentro
Malaguetas verdes
Leite de coco


Para acompanhar:
Chutney de pera e vinho moscatel
Arroz basmati

1-Fazer um refogado com o alho e a cebola, juntar o caril e deixar fritar até os aromas começarem a ser libertos, junte o vinagre e deixe fritar.

2-Quando estiver frito juntar o tomate e as malaguetas.

3-Deixar refogar e depois juntar o leite de coco deixar apurar uns minutos.

4-Juntar os camarões e deixar cozer desligar e enfeitar com os coentro picados



Servir com o arroz basmati e o Chutney de pera e paparis



Bom apetite.......



terça-feira, 23 de abril de 2013

Paté de frango com relish de pickle


Parece que no fim do mês de Abril volta os dias de frio, parece que no dia 25 de Abril o dia da Liberdade vai estar sol, e  sol e mais sol e que tal uma sandes com paté de frango.Paté de frango para um sabor fabuloso e extra basta acrescentar um relish de pickles, relish de pickles não é o mesmo  que os nossos tradicionais pickles., que levam couve flor e cenoura, no relish de pickle os pepinos são a base principal deste relish.




2 Peitos de frango cozidos ou estufados não use assado
1/2 Aipo cortado em juliana
2 Colheres de sopa de relish de pickles cortados em pedacinhos
2 Ovos cozidos
2 Colheres de sopa de cebola cortada finamente
150 ml de maionese (faça a sua)
Sal e pimenta
Azeitonas verdes

1-Junte todos os ingredientes menos a maionese

2-Junte a maionese aos pouco ate obter a consistência desejada não é para estar cremosa

3-Junte sal e pimenta

4-Mexa bem e enfeite com azeitonas verdes cortadas

Bom apetite......

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Cordon bleu de frango com queijo de Azeitão 





Aqui está algo francês com uma memória da Quinta do Anjo. A primeira vez que fiz  esta receita foi com queijo Gruyère, foi uns dias depois de a comer no restaurante Cantinho de São Pedro em Sintra, é um lindo restaurante com uma temática de cozinha tradicional Portuguesa. Não fazia esta receita já á algum tempo e decidi fazer agora com queijo de Azeitão em vez do Gruyère troquei também o fiambre de porco por fiambre de frango. 


2 pedaços de peito de frango em bife o mais fino possível
sal
Pimenta
Fatias de queijo de Azeitão
2 fatias de fiambre de frango ou de porco ou Bacon
Farinha
1 ovo levemente batido
Pão ralado
Óleo para fritar



1-Remover os pedaços de gordura e qualquer osso que pode ser apresentado no frango.

2-Corte em bifes

3-Cubra com filme plástico e espalme o frango para ficar fino

4-Tempere com sal e pimenta

5-Coloque uma fatia de frango e uma fatia de queijo numa metade de cada carne do peito.

6-Dobre a carne mas que ela envolva o presunto e queijo.

7-Persione os bifes entre as palmas das suas mãos.

8-Em 3 pratos colocar farinha o ovo e o pão ralado.

9-Passar os peitos de frango por farinha ovo e no fim pão ralado.


10-Fritar em óleo bem quente.

Pode servir com esparregado e arroz branco

Bom apetite......





quinta-feira, 18 de abril de 2013

E era uma vez o puré de batata transformado em Gnocchi





A base desta receita são as batatas elas tem de ser de uma excelente qualidade e não faça com puré de batata instantâneo pois não é a mesma coisa, com batatas cozidas vai ver que a receita fica com outro sabor, fazer gnocchi com batata fica com uma massa muito mais leve, e com a junção do molho de pesto, elevamos o sabor desta maravilhosa receita.

Outro nome do gnocchi é Nhoque

4 batatas
100 gr de farinha
sal
2 colheres de sopa. pinhões
2 dentes de alho
80 gr de  folhas de manjericão
50 ml  de azeite
2 colheres de sopa. parmesão
Queijo creme
Natas
2 ovos

1-Coza as batatas e enquanto as batatas estiverem quentes, descasque e amasse-os finamente.

2-Combine o puré de batata com a farinha o ovo  e o sal, amasse até ficar bem misturado.

3-Rolar pequenas quantidades num um formato de corda. Cortar em pedaços. Use um garfo para fazer um recorte na parte superior de cada peça

4-Para fazer o pesto, junte os pinhões e o sal num processador de alimentos até que estejam moídos. Adicione o alho e manjericão e, com o motor em funcionamento, regue com o azeite.

5-Leve uma panela grande com água e sal a ferver. Coloque os nhoque na panela com cuidado, de modo que eles não colem uns aos outros. Cozinhe 2-3 minutos ou até gnocchi começarem a subir para a parte superior. Remova cuidadosamente os nhoque cozidos da panela com uma escumadeira e deixe escorrer em um prato forrado com papel absorvente.

6-Enquanto isso, aqueça o pesto em fogo médio numa frigideira grande. Misture o queijo e as natas. Gosto de sal e pimenta,  Adicionar os nhoque ou os gnocchi, mexa delicadamente e sirva.


Bom apetite.......

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Sandes e mais sandes para os dias quentes, ou uma refeição equilibrada




Apesar de não estarmos ainda no Verão e dos dias quentes ainda estarem bem longe, todos andamos ansiosos pelo Verão, todos andamos a espera que os dias de Primavera cheguem.  É sempre bom nos dias quentes de Verão  uma boa sandes, todos nos desejamos de vez em quanto de uma daquelas sandes em que só de olhar ficamos satizfeitos, uma sandes daquelas que dá prazer ver, e como sandes é no plural podemos sempre comer mais uma e outra e mais outra.

Cá em casa temos todas as semanas o jantar das sandes, nem sempre é com o nosso maravilhoso pão da Quinta do Anjo, até tenho vergonha de dizer mas os meus filhos adoram o pão tipo Bimbo eu sei que aquilo é só E´s e mais E´s mas numa sandes até não fica mal e fazemos assim eles comem o tipo Bimbo e nos as vezes o pão da Palmira.

Tal como os “lápis” e os “ténis” as “sandes” não tem singular. Não se calça um “téni” nem se usa um “lapí”, não se come uma sande mas sim umas sandes.

Para esta receita usei

Pão de fatia escuro
Alface
Tomate
Paté de Sapateira



Para o Paté de sapateira
200 ml  de maionese
1 iogurte natural
2 colher de chá. de sumo de Lima
Mostarda Dijon 1 colher de chá.
Alcaparras pequenas, enxaguadas e finamente picadas
1 colher de chá. de cebolinho verde
1 colher de chá. sal
1 colher de chá de pimenta preta
3 cebebolinhas, finamente picadas
Carne de caranguejo ou sapateira

1-Misturar todos os ingrediente e mexer bem.

2-Barrar o paté no pão de cereais e por cima colocar alface e tomate as fatias.

Bom apetite e bom sol para este fim de semana......











domingo, 7 de abril de 2013

Lombinhos de porco com Chutney de tomate e moscatel de Setúbal


Os lombinhos de porco quando são de boa qualidade são uma carne excelente para um jantar se adicionar-mos uns cogumelos e um chutney podemos dizer que é uma refeição para um dia especial.
A carne deve estar cozida no ponto pois a carne de porco quando é cozinhada durante muito tempo fica rija, e perde o seu encanto, por isso o processo de selar a carne é bastante importante, este significa dourar a superfície da carne rapidamente numa superfície bem aquecida (tacho, grelha ou forno) para selar (fechar, encerrar) a superfície, evitando a perda dos sucos naturais da carne , desta forma a carne mantem-se macia e suculenta.
No forno deve assar a uma temperatura de 80 a 90c, antes de servir a carne deve repousar uns 5 minutos para o musculo descontrair.

Ingredientes
2 lombinhos de porco limpos
2 colheres de sopa de massa de pimentão e alho
Vinho moscatel de Setúbal para temperar
Sal
Pimenta
Manteiga
Azeite
Chutney de Tomate & pimentos assados (Flavors sabores diferentes da nossa terra)
100 g de cogumelos


1-Barrar os lombinhos com a massa de alho, um pouco de sal e pimenta e borrifar com azeite e vinho moscatel.

2-Colocar um tacho ao lume com o azeite e a margarina, assim que esta ficar com um tom dourado, adicionar os lombos e deixar selar a carne em todos os lados.

3-Colocar no forno e deixar assar.

4-Numa frigideira estufar os cogumelos com o azeita e deitar uma colher de manteiga.

5-Para empratar colocar a carne cortada e coloque os cogumelos em cima e adicione o chutney cerca de duas colheres de sopa.

Servi com arroz branco.

Bom apetite......

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Crepes primavera os crepes do chinês




300 g Carne de porco
2 colheres de sopa de óleo
4 cm de Gengibre
2 Cebolas cortadas em meias luas finamente
2 Cenouras
1 Couve chinesa cortada em juliana
2 colheres de sopa Molho de ostra
2 colheres de sopa Molho de soja
Massa de crepes
Sal

1-Num tacho fritar a carne de porco juntamente com o óleo

2-Juntar o gengibre ralado

3- Quando a carne estiver a libertar os sucos deitar as cebolas a couve e as cenouras

4-Quando os legumes estiverem estufados juntar os condimentos molho de soja e de ostras

5-Temperar com sal

6-Enrolar o recheio aos crepes

7-Fritar

8-Servir com molho de soja e para enfeitar deixe 2 a 3 rebentos de soja germinarem e coloque na travessa



Crepes congelados

Bom apetite......

segunda-feira, 1 de abril de 2013

A arte de fazer o chá verde e um bom acompanhamento para uns crepes primavera




Todos conhecemos os benefícios saudáveis provenientes do chá verde – um chá de origem chinesa caracterizado pelo seu sabor fresco e suave. Para além de um paladar especial, o chá verde está cheio de poderosos antioxidantes, o que requer que a sua preparação seja perfeita, para se poder desfrutar em pleno tudo aquilo que o chá verde tem para oferecer.

A arte de preparar o chá começa com o recipiente escolhido para ferver ou aquecer a água, ou seja, utilizar o micro-ondas para este efeito é desaconselhado. No caso específico do chá verde pode optar por uma chaleira ou, como é importante assegurar que a água não ferva efetivamente, uma pequena panela ou chaleira sem testo é o ideal.

É essencialmente por motivos práticos se deve escolher o chá em saqueta em detrimento de folhas de chá, mas a verdade é que estas últimas não dificultam em nada a preparação de um chá, nem diferem muito em termos de preço. No caso do chá verde, a diferença está, sem dúvida no sabor: enquanto as saquetas são preparadas com sobras das folhas de chá verde, o chá verde avulso é composto por folhas inteiras, o que confere um maior e melhor paladar a qualquer chávena de chá. Se optar por preparar um chá verde em saqueta, siga as instruções constantes da sua embalagem.

Embora qualquer embalagem de chá contenha informação acerca da quantidade de folhas necessárias para preparar um chá, regra geral, o chá verde requer uma colher de chá para cada chávena. O paladar mais ou menos intenso de um chá verde consegue-se através do tempo de infusão, mas pode também fazer experiências com a quantidade de folhas que coloca no seu chá. É importante não utilizar as mãos para pegar nas folhas de chá verde, recorrendo sempre a uma colher.

A temperatura da água é o elemento mais importante no que toca à preparação de um chá verde. Com características muito próprias, o sabor e o aroma de um chá verde sublime dependem de uma água que não esteja nem muito quente, nem muito fria. Se adicionar água a ferver às folhas do chá verde, esta irá “estragar” as suas melhores qualidades e o resultado será um chá muito amargo. Se adicionar água demasiada fria às folhas do chá verde, esta não terá a temperatura suficiente para delas extrair toda a potencialidade do seu paladar. Regra geral, a temperatura ideal da água utilizada para preparar um chá verde deve rondar os 60°C e os 85°C, ou seja, quando pequenas bolhas começam a formar-se no fundo da chaleira. Se aquecer demasiado a água, deixe-a arrefecer um pouco antes de a deitar sobre as folhas do chá.

O tempo de infusão é outro fator chave na preparação correta de um chá verde, uma vez que a delicadeza das suas folhas necessita de muito pouco tempo de infusão – entre 1 e 3 minutos apenas – caso contrário pode azedar. Dois minutos de tempo de infusão parece ser o consenso no que toca a preparar uma chávena de chá verde exclusivamente voltada para o sabor; mas se pretende beneficiar, acima de tudo, da ação antioxidante do chá verde, então o tempo de infusão já sobe para 5 minutos. É claro que o tempo de infusão influencia o sabor de um chá e a apreciação desses sabores pode variar de pessoa para pessoa. Para além disso, diferentes tipos de chá verde requerem diferentes tipos de infusão, por isso, confira sempre as indicações presentes na embalagem. E, claro, não há nada como fazer experiências. Quando em dúvida, saiba que quanto mais fria estiver a água utilizada para preparar um chá verde, mais tempo de infusão é necessário.

Durante o tempo de infusão, não mexa as folhas do chá, deixe-as simplesmente repousar. Se for um chá verde de elevada qualidade, as folhas irão assentar no fundo da chávena, o que permite beber o chá sem as retirar. Se preferir retirar as folhas antes de beber o chá, vaze o chá para outra chávena, utilizando um passador próprio para o efeito, de forma a recolher as folhas.
Se quiser reduzir a quantidade de cafeína presente no chá verde faça o seguinte: depois de aquecida a água, verta-a sobre as folhas de chá, mas apenas o suficiente para as cobrir; deixe repousar durante 20 segundos e retire; adicione a quantidade de água habitual e prepare o chá verde como o costume.
Se aprecia chá verde gelado, é importante duplicar a quantidade de folhas que normalmente utiliza, uma vez que a água proveniente do gelo irá diluir o sabor.
Por norma, as mesmas folhas de chá verde podem ser utilizadas para preparar uma segunda chávena de chá e, embora esta apresentará níveis mais baixos de cafeína e antioxidantes, não perderá nada em termos de sabor.
Existem vários tipos de chá verde, por isso, se aprecia este género, vai experimentando e saboreando… não se esqueça, porém, que no que toca à preparação de um chá verde, o equilíbrio é tudo …


Hoje apenas falei de um bom chá verde amanha vai a receita dos crepes para acompanhar cm este chá ver e como prato principal um  fabuloso Yakisoba de camarão e pimentos


Crepes primavera antes de fritar




quinta-feira, 28 de março de 2013

Rolo de carne ou o prazer de comer carne




Os dias de chuva pedem conforto, nestes dias a casa fala mais alto, vem à memoria aqueles momentos que alguns já passaram ao pé de uma lareira. Olhar para a janela num dia de chuva pode ate ser bem calmante e reconfortante as coisas simples como ver chover também faz bem, tambme faz parte da vida, ver as gotas de água a escorrerem na janela da sala é um bom momento de prazer, juntamente com um bom chá na mão, um chocolate quente ou um café, parece que estamos num filme......
Para aqueles que tem a sorte de ter uma vista para o mar isso sim é um dia de chuva bem passado.
Uma sopa quente um caldo verde cheia de sabores para restabelecermos as forças, um assado no forno demorado para ajudar a aquecer.
Já tinha falado neste blog de o rolo de carne e provavelmente esta receita é um pouco diferente da outra mas esta também é saborosa.

Ingredientes:
1 cebola cortada muito finamente
2 dentes de alho picado muito finamente
600 g de carne de vaca e porco
1 lata de tomate pelado
1 ovo
100 g de pão ralado
Sal e pimenta
Queijo flamengo
Bacon cortado em fatias finas
3 colheres de sopa de ketchup
1 colher de sopa de garam masala
1 colher de sopa de molho inglês ou molho Worcestershire


1-Picar finamente a cebola e o alho e juntar todos os ingredientes a carne e mexer bem

2-Nma tábua com um película aderente em cima colocar a carne e espalhar uniformemente de modo a fazer uma camada com 2 a 3 cm de espessura.

3-Colocra o queijo e o bacon por cima

4- Com alguma calma e paciência enrolar de forma a ficar em rolo de carne, no fim enrolar as pontas da película aderente com se fosse um papel de rebuçado e retirar

6-Retirar e polvilhar com pão ralado






7-Colocar num pirex e levar ao forno com batatinhas pequenas e com um pouco de cebola e tomate.

Bom apetite.....

terça-feira, 26 de março de 2013

Frittata ou tortilha ou uma omeleta com batatas....






Tortilha Espanhola é tudo o que nós adoramos na culinária dos nossos hermanos, simples e elementar,  é sem duvida seguramente simples. Tradicionalmente, esta omelete Ibérica recebe o peso das batatas em fatias finas ou em cubinhos. Esta receita evita o trabalho sujo de descascar, cortar e fritar as batatas e é um pouco mais saudável. 

A primeira fez que me lembro de comer um tortilha foi na casa da Tia Joana uma portuguesa espanhola, não sei bem qual é o pais dela pois esteve tanto tempo em Espanha como em Portugal e ficou com aquela pronuncia, ela tem uns 90 anos e  esteve na Guerra civil em Espanha, faz uma tortilha com  uns sabores fenomenais acho que é mesmo a melhor de todas, nem mesmo as feitas em Espanha. Esta e  muinto boa.

Fazer uma tortilha, revela-se uma óptima sugestão para uma refeição que se quer rápida.

Em Itália as tortilhas tem o nome de frittata e levam queijo parmesão ou picorino, o resto é quase igual as dos nosso vizinhos. A minha leva queijo picorino que é uma espécie de parmesão mas com outro sabor de resto é igual à espanhola.

Ingredientes:
3 batatas cortadas em cubos e cozidas
Folhas de espinafre
30 g de Queijo picorino
Azeite
60 g de bacon
60 de chouriço
40 g de pimento vermelho e verde
6 ovos
1 cebola picada
Salsa
Pimenta
sal

1-Descascar as batatas. Cortar em pequenos cubos e levar a cozer em água temperada de sal. Depois de cozidas, escorrer deixe secar.

2-Escaldar durante 2 a 3 minutos as folhas de espinafre. Escorrer muito bem e picar grosseiramente os espinafres.

3-Numa frigideira antiaderente que possa ir ao forno, colocar a cebola picadinha em pedaços e o azeite e levar ao lume. Mexer com uma colher de pau até a cebola estar translúcida.

4-Adicionar o chouriço e o bacon cortado em pedaços pequenos e os pimentos.

5-Adicionar as batatas e os espinafres, deixar fritar um pouco

6-Numa taça bater os ovos com uma pitada de sal e a pimenta. 

7-Juntar a mistura anterior ao preparado na frigideira. Mexer com a colher de pau até começar a prender. Deixar cozer em lume muito brando.

8-Quando estiver quase colocar o queijo e por no forno até ficar tostada isto serve tambem para não ter de virar.

7. Servir a tortilha com salada de tomate e alface.

Bom apetite.....

segunda-feira, 25 de março de 2013

Ensopado de borrego a minha primeira vez





Gosto quando as coisas correm bem quando estou com os tachos na mão pois cozinhar entre outras ciosas é um desafio, e desta vez acho que passei, com alguma distinção.
Nunca tinha feito ensopado de borrego e este prato no Alentejo é um dos mais conhecidos e bem feitos é um dos ícones da gastronomia Alentejana.
Os glutões cá de casa já por varias vezes tinham dito que gostavam de comer borrego só que as tradicionais costeletas de borrego não me enchiam as medidas achava um tanto para o simples e pensei vou fazer ensopado de borrego com aquele molho saboroso e com um pão aqui da quinta do anjo no prato, pois foi o almoço de Domingo foi um ensopado de borrego.

Claro o pão é o da tia Palmira pois não vejo outro que fique tão bem, o do Celso era bom mas como esse já não há fica o da Palmira que dá para as despesas.

2 kg de borrego
100 g farinha
75 g de banha
Azeite
500 g de cebolas picadas finamente
5 dentes de alho
1 folha de louro e mais 3 para enfeitar verdes
1 colher de sopa de pimenta em grão
1 colher de sopa de colorau doce
5 cabeças de cravinho numa cebola
piripíri 
Malaguetas vermelho sem pevides para enfeitar
Água
Pão caseiro tipo alentejano
Sal

Preparação
1-Corte o borrego em pedaços regulares e não demasiado grandes. Passe-os pela farinha e polvilhe com sal e pimenta. 

2-Leve a carne a alourar num tacho de barro com a banha e o azeite

3-Retire a carne depois de dourada de todos os lados e deite no tacho, as cebolas e os alhos, descascados e picados, o louro e a pimenta em grão. 

4-Deixe refogar e volte a colocar o borrego. 

5-Polvilhe com o colorau e tempere com uma pitada de piripiri. 

6-Coloque os cravinhos presos numa cebola e um pouco de agua.

7-Caso seja necessário vá regando com aágua quente, retifique os temperos, tape e deixe cozinhar até a carne estar tenra. Se for necessário junte um pouco mais de água. 

8-Corte o pão em fatias finas e coloque-o numa terrina ou num prato fundo. 

Deite o caldo do ensopado sobre o pão e coloque a carne por cima, e decore com a malagueta cortada

Bom apetite......


quinta-feira, 21 de março de 2013

Frango Tikka Masala um prato britânico verdadeiramente British




Frango tikka masala  é um prato com pedaços de frango assado (tikka) em um molho (masala) picante. O molho é geralmente cremoso, temperado e de cor laranja devido ao açafrão. Chicken tikka masala (frango tikka masala) é dito por muitos ser o prato mais popular em restaurantes britânicos e que tem sido chamado de um prato britânico e verdadeiramente nacional. 
A origem do prato é clara, veio da índia 

Esta é uma versão simples de um prato popular o frango de churrasco. Marinar um  frango de churrasco e dar-lhe um sabor "tandoori cozido" antes de adicioná-lo a um molho cremoso esta é a base desta receita, deve ter em atenção o aspecto do frango este não pode  estar queimado e seco.

Nesta receita troquei o iogurte por uma mistura de natas e iogurte

Ingredientes:
8 coxas de frango, sem pele e desossada
2 dentes de alho picado
2,5 cm de pedaço de gengibre fresco picado
Sumo de lima apenas
1 cebola picada
100 g de mistura de pimentos
1 malagueta vermelho, sem sementes
2 colheres de sopa de folhas de coentro picadas grosseiramente, mais extra para guarnecer
2 colheres de sopa de óleo vegetal
1 cebola vermelha picada
1 colher de chá de açafrão
1 colher de chá de paprika
1 colher de chá de cominho em pó
1 colher de sopa de Garam Masala
1 colher de sopa de purê de tomate
300 ml  de mistura de natas e iogurte
1 pitada de sal e pimenta moída



Preparação:

1-Prepare a marinada para o frango. Misture a malagueta com o alho, o gengibre e o óleo no robot de cozinha. Adicione o colorau, a garam masala, o puré de tomate e os coentros o sumo de lima Misture bem até formar uma pasta.

2-Coloque os pedaços de frango numa taça e barre-os com a marinada, de modo a que todos os bocados ficarem cobertos. Deixe ficar no frigorífico, tapado, de um dia para o outro.

3-Aqueça um pouco de óleo  numa frigideira larga ou panela e frite a cebola em rodelas o alho, e os pimentos em tiras, as malaguetas e as restantes especiarias. 

4-Deixe cozinhar em lume brando 10 minutos e adicione depois o tomate pelado junte a mistura das natas e do iogurte.

5-Junte os pedaços de frango e a marinada e deixe apurar em lume brando.

6-Sirva com arroz basmati e enfeitado com folhas de coentros.
Bom apetite......

quarta-feira, 20 de março de 2013

A receita tradicional da Grecia moussaka



A Grécia anda na boca dos Europeus e nada melhor do que falar de Moussaka, a Moussaka é um prato típico da Grécia que é normalmente feito com borrego mas pode fazer também com vaca ou porco,  esta receita leva carne de vaca ou porco moída fica igualmente delicioso. A carne é temperada com canela e outras especiarias, pode parecer estranho, mas dá um toque totalmente especial. é um bom guisado feito num pirex de ir ao forno, são usados ingredientes tais como a beringela, abóbora, tomate e carne moída a carne e posta sob uma camada de molho bechamel, tem um aspecto exuberante, é uma receita fabulosa.
É uma receita que demora algum tempo a preparala por isso deve fazer-se com algum tempo num fim de semana leva algumas horas para prepará-la. Eu aprendi a fazer moussaka coma minha tia, era uma pessoa bem organizada, muitas vezes comecava os preparativos no dia anterior, fritava as berinjelas, preparava a carne e molho de tomate, e no dia seguinte, era só montar o prato para ser servido.

Existe três ou quatro maneiras de fazer moussaka só com beringelas a tradicional, com beringelas e batatas a mais famosa a que leva abóboras no lugar das beringelas e por fim a que leva só batatas, esta receita leva os 3 igredientes a batata a abóbora e a beringela

A Moussaka é uma especie de lasanha só que em vez de massa leva os vegetais a separar a carne não leva a massa.


Azeite
6 folhas de louro
2 paus de canela
1 cebola grande, finamente picada
400 g de carne moída
200 g de tomate concentrado
1 colher de chá. canela em pó.
1 colher de chá. noz-moscada
¼ colher de chá. cravo moído
1 colher de sopa  de vinagre de vinho tinto
1 colher de chá. açúcar
1 lata de tomates pelados esmagados
Sal a gosto
Pimenta moída a gosto
8 colheres de sopa. de manteiga sem sal
50 g  de farinha
150 ml  de leite
3 beringelas grande, cortadas
5 batatas médias descascadas
Abobora
100 g  de queijo ralado Gruyère


1-Numa panela junte o óleo  as folhas de louro, a canela, a cebola e cozinhe até ficar macio, cerca de 5 minutos.

2-Adicione a carne e cozinhe até que todos os líquido da carne se evaporem e a carne fique dourada, aproximadamente 30 minutos.

3-Junte o concentrado de tomate, a. canela em pó, a noz-moscada o cravinho e cozinhe até ficar levemente caramelizado, cerca de 2 minutos.

4-Adicione o açúcar, o vinagre, e o tomate.

5-Cozinhe, até quase todos os líquidos se tenham evaporado.

6-Tempere com sal e pimenta.

7-Faça o molho bechamel.

8-Frite a beringela em óleo as meias luas, transferência para toalhas de papel para escorrer e reserve.

9-Coza as batatas e corte as rodelas.

10-Coza a abóbora e corte as fatias do mesmo tamanho das batatas

11-Espalhe o molho bechamel no fundo do pirex e as  batatas a beringela e a abóbora por cima do molho e polvilhe com o queijo. Despeje  a carne sobre os legumes repita esta operação mais uma vez

Bom apetite......

segunda-feira, 18 de março de 2013

Loja Gourmet El Corte inglês e a diferença existe mas o preço também





Quando vou a Lisboa, algumas vezes vou a loja Gourmet do supermercado do El Corte inglês, tenho de reconhecer que são caros mas tem coisas com alguma diferença, tem coisa para quem gosta de gastronomia são diferentes, cativantes, apelativas  e saborosas.



Costumo comprar uns pimentos recheados com queijo creme que eles tem no supermercado junto à chacutaria, so que desta vez perdi um pouco mais de tempo e encontrei os ditos pimentos que se chamam pepperoncini não faço a minima ideia como se chame em portugues pois a lata diz só pepperoncini são uns pimentos Italianos, não são bem malaguetas pois não são picantes e até tem um sabor doce, os que comprei  são duma espécie diferente dos recheados  de compra mas o sabor é igual.

A cor amarela e verde da um excelente contraste de cores é um prato bem vistoso para uma entrada. 

1 frasco inteiro pepperoncini (cerca de 18 pimentas)
100 ml de queijo creme, amolecido
2 colheres de sopa. natas espessas
2 colheres de chá de maionese
2 colheres de sopa. de cebolinho picado para rechear e para enfeitar
2 colher de chá. raspas de limão
Sal e pimenta moída a gosto
Fatias finas de salmão fumado, cortado em tiras

1-Abrir os pimentos com cuidado a todo o cumprimento.

2-Juntar numa tigela o queijo creme as natas a maionese e o cebolinho juntamente com a raspa de limão e temperar com pimenta moída na hora e sal.

3-Com um palito enrolar o salmão a volta do pepperoncini e fechar.

4-Dispor numa travessa e enfeitar com cebolinho picado.


Bom apetite.....


sexta-feira, 15 de março de 2013

Francesinhas e viva o Porto e os filetes de polvo também.




Que me perdoem os meus amigos Lisboetas e os do resto do pais mas nada melher que um francsinha para um jantar de amigos e se for com umas cervejas a acompanhar dá até as tantas.
A francesinha é uma imagem de marca da gastronomia do Porto, já foi até considerada uma das dez melhores sanduíches do Mundo.
As francesinhas a par das tripas e dos filetes de polvo são das refeições mais famosa da gastronomia do Porto,

Lembro-me de ter comido no Porto umas francesinhas com um vinho que branco doçe Grandjó não sei se me lembro mais da refeição ou do vinho pois foi fenomenal.
Desde esse dia tenho feito varias tentativas de fazer fransesinhas e passado uns tempos acertei e desde ai nunca mais mexi na receita é uma receita de sucesso cada vez que quero juntar amigos à mesa e passar uns bons momentos de galhofa, é a receita vencedora.

As francesinha não são o prato mais saudável do mundo, mas sabe bem. E de vez em quando, não faz assim tanto mal.



Existe mesmo varias discussões sobre a melhor e qual é a melhor casa, ver reportagem no jornal Publico.

http://fugas.publico.pt/RestaurantesEBares/284923_a-minha-francesinha-e-melhor-do-que-a-tua

Ingredientes (2 francesinhas):

Para o molho:
2 cebolas picadas
3 dentes de alho picados
20 g de margarina
1 folha de louro
Polpa de tomate
2 dl de vinho branco
Cerveja
2 dl de caldo de carne (caseiro, ou dissolver um cubo de caldo de carne em 2 dl de água)
2 colheres de sopa de sopa instantânea de marisco
Vinho do Porto
1 colher de sopa de whisky
piri-piri
Molho Worcestershire

Sal 
Pimenta preta
Azeite



4 fatias de pão de forma ligeiramente altas
2 bifes de porco bifanas
4 salsichas
2 linguiças picante
Fatias de chourição
Fatias de fiambre
Fatias de queijo flamengo
2 ovos

Preparação do molho

1-Picar finamente a cebola e o alho, levar a refogar com a margarina e o louro

2-Quando estiver refogado, juntar a polpa de tomate e o vinho branco. Deixar apurar.

3-Quando estiver a ferver, juntar a cerveja e deixar cozinhar em lume brando durante 15 minutos.

4-Dissolver a sopa instantânea no caldo de carne e, ao fim dos 15 minutos, juntar ao molho anterior, deixando ferver. Retirar do lume

5-Triturar com a varinha mágica.

6-Levar novamente ao lume e adicionar o whisky e o vinho do Porto e o molho  Worcestershire

7-Temperar com piri-piri a gosto e deixar ferver um pouco.

8-Caso esteja um pouco liquido use farinha maizena

Retirar do lume e reservar.

Preparação da receita

1-Temperar as bifanas com sal e pimenta.

2-Aquecer o azeite numa frigideira, e fritar a carne. Juntar as salsichas para dourar um pouco.

3-Cortar as salsichas ao meio, no sentido longitudinal, cortar a linguiça em quatro partes, ao meio no sentido transversal e ao meio no sentido longitudinal.

4-Num prato que possa ir ao forno, começar a montar a francesinha, colocar uma fatia de pão  no fundo, a carne, a linguiça o chourição metade das salsichas, o fiambre e por fim o queijo.

5-Terminar com uma fatia de pão.

6-Cobrir com fatias de queijo flamengo.

7-Levar ao forno para gratinar, por aproximademente 5 minutos.

8-Entretanto, estrelar os ovos.

9-Quando o queijo estiver derretido, colocar o molho quente por cima e levar ou forno mais um pouco

10-Terminar com o ovo estrelado, polvilhado com um pouco de pimenta, e um pouco do molho por cima do ovo.

Acompanhar com batatas fritas.


domingo, 10 de março de 2013

Raviolis de camarão, vá para a cozinha, divirta-se dê a manivela!!!




Hoje volto outra vez a falar de raviolis a cozinha italiana é sem duvida umas das minhas paixões e como tal volto a carga com uns raviólis de camarão para um jantar especial.




Ingredientes para a massa:

300 g de farinha
3 ovos inteiros
2 colheres de sopa de azeite
Sal



Para o recheio:

100 g de manteiga
½ cebola cortada em cubos
½ alho-frances, cortado
12 camarões, descascados
Cascas e cabeças dos camarões
Azeite
150 ml natas
Salmão
Folhas de creófilo





Preparação

Para a massa:

1-Peneira a farinha para uma tábua de cortar e fazer um monte.

2-Adicione uma pitada de sal.

3-Faça um buraco no centro e parta os ovos.

5-Adicione o azeite.

6-Mistura tudo com os dedos e amasse por 5 minutos ou até ficar homogêneo.

7-Embrulhe em película aderente e deixe descansar no frigorifico por 10 minutos.

Para o recheio:

1-Aqueça a manteiga numa frigideira, adicione a cebola, o alho-frances e os camarões e refogue por cinco minutos, junte natas espessas e tempere com pimenta, deixe apurar mexendo ocasionalmente até que os camarões fiquem cozidos, e por fim até as  natas fiquem espessas.

2-Estenda a massa em folhas finas e coloque uma colher de mistura de camarão e uma folha de cerefólio sobre a folha de massa, repita até acabar a massa, cubra com uma folha de massa segundo e pressione com firmeza em torno de enchimento para as bordas para selar, removendo bolsas de ar.

3-Corte em formato de ravióli individuais.

4-Cozinhe o ravioli em água ferver com sal, escorra.

Para o molho

Para o molho pode fazer um creme de natas com um fumet de camarão ou pode fazer um simples creme de natas com queijo parmesão, para esta receita optei por um molho de tomate com orégãos e coentros



Bom apetite......

quinta-feira, 7 de março de 2013

Panko o pão ralado dos Japoneses



Quando vou a Lisboa costumo ir a uma loja de produtos orientais perto da Mouraria e desta vez comprei uma especie de pão ralado bem não é pão ralado é um pão triturado e fica género flocos.
O panko são migalhas de pão ou farinha de rosca, são partículas pequenas de pão seco, usado para empanar os alimentos, frita-se  em óleo, e fica crocante é um revestimento para alimentos fritos, empanados, como costeletas, peitos de frango, febras e camarão, é bastante usado na Áustria schnitzel e no Japão a variedade japonesa de migalhas de pão é chamado de panko, em Portugal usamos o nosso pão ralado que é ralado finamente e são chamados de panados.



Ingredientes:
Farinha de trigo
2 ovos grandes
Panko
Parmesão ralado
1 colher de sopa de gengibre em pó
4 peitos de frango cortados finamente
Óleo para fritar
1 lima
1 colher de sopa de alho em pó
1/2 colher de cha de piri piri
Sal
Pimenta
Alecrim fresco para enfeitar
1 Colher de sopa de ervas provençais
1 Limão aos quartos



1-Coloque em 3 tigelas a farinha, os ovos batidos e na 3 o panko com o  parmesão e as ervas provençais

2- Tempere o frango com sumo de lima. sal. pimenta. gengibre em pó numa tigela e misture e deixe durante 2 horas

3-Passe o frango pela farinha, sacudindo o excesso. Transfira para a tigela com o ovo batido e por fim por na tigela do panko

4-Na mistura de panko, deve pressionar para aderir.

5-Fritar em óleo numa frigideira grande em fogo médio-alto, até dourar, cerca de 4 minutos de cada lado, não deve ter uma grande altura de óleo apenas uma camada fina.

6-Transfira para uma travessa com um papel absorvente.

7-Sirva com limão, e enfeitado com alecrim



Pode guardar o frango empanado no frigorifico durante 3 meses, apenas deve por entre os pedaços  papel manteiga e congele em sacos de congelação invioláveis​​. frite congelados.

Bom apetite......





quarta-feira, 6 de março de 2013

Pesto é espetacular e é simples e saboroso




O pesto é das receitas mais famosa de Itália, é um dos ícones da gastronomia Italiana, e é uma receita bastante fácil de fazer.
Pesto é um molho originário de Génova, da região da Ligúria, norte da Itália, e tradicionalmente é composto de alho esmagado, manjericão, pinhões azeite, o queijo é indispensável, e é o famoso Parmigiano Reggiano (queijo parmesão), o nome significa pisar em genovês.

Atualmente existem varias versões da receita original em que em vez de pinhões usa-se caju ou amendoim, provavelmente usa-se pois o pinhão é um ingrediente bem caro.

Ingredientes:

2 chávenas  de folhas de manjericão
1 colher de sopa de alho picado
80 gr de parmesão ralado
20 ml de azeite mais, conforme necessário
20 g pinhões torrados
Sal fino
pimenta preta moída

1-Colocar o manjericão, o alho, o parmesão, o azeite e os pinhões num um processador de alimentos ou liquidificador.

2-Adicione uma pitada de sal e um pouco de pimenta moída na hora.

3-Bata até ficar homogêneo adicionando mais azeite se necessário.



Deve comer com massa se poder tagliatelle ou num pão torrado.

Bom apetite.....














segunda-feira, 4 de março de 2013

Bacalhau e mais bacalhau, e o bacalhau à conde da Guarda



Dizem que existe mil e uma maneiras de fazer bacalhau cá em casa é apenas uma, bacalhau à Conde da Guarda é bom ser assim pois esta receita é uma receita com bacalhau, é uma recita mítica do mítico restaurante Aviz, 
Nascida na cozinha do Aviz Hotel pela mão sábia e treinada do Mestre cozinheiro João Ribeiro, seria uma das suas três criações que ele nunca registaria por escrito (as outras duas são o Bacalhau à Universal e o Jambon Braisé Giroffle), pelo que consta tinha esta receita na cabeça e nunca escreveu por isso se tornou mítica, esta é a historia que torna os restaurantes míticos e os chefes mestres.
Hoje existem muitas versões, todas elas nascidas da primeira versão registada em livro (A Cozinha Ideal), pela mão do seu amigo e antecessor na cozinha do Aviz, Manuel Ferreira.
Esta versão escrita original é omissa em relação a vários ingredientes que se sabe existirem na criação do mestre, a noz-moscada, a pimenta, o alho e o queijo de gratinar. Se para o queijo não há duvidas que è o parmesão a noz moscada è usada por bom senso, já nos alhos e pimenta restará sempre a dúvida se o Bacalhau à Conde da Guarda teria sido um prato com esses sabores marcados. Ficara sempre duvidas sobre o que leva esta receita mas cá em casa eu sei o que leva.


Ingredientes:
500 g de batatas
700 g de bacalhau
700 ml  de natas
2 colheres de manteiga
Sal 
Queijo parmesão
4 dentes de alho
1 cebola
Noz moscada
Pimenta preta moída na altura

1-Coze-se o bacalhau e as batatas e escorrem-se, passando estas pelo peneiro, para secarem.

2-Escolhe-se o bacalhau de peles e espinhas e pica-se num processador de alimentos juntamente com os alhos. 

3-Retira-se este preparado e deita-se numa caçarola. 

4-Fazemos puré de batata no passe vite  junta-se ao bacalhau

5-Na caçarola leva-se ao lume, juntam-se-lhes a manteiga e a batata e liga-se bem. 

6-Adicionam-se-lhes as natas, a pouco e pouco, mexendo sempre com a colher de pau até que a massa esteja bem lisa.

7-Corta-se uma cebola finamente e fritasse em manteiga e junta-se ao preparado anterior

8-Tempera-se com sal, pimenta e noz-moscada. 

9-Junta-se o queijo 

10-Unta-se com manteiga um prato de ir ao forno, deita-se-lhe o conjunto dentro, alisa-se e povilha-se com o queijo.

11-Salpica-se com a manteiga derretida e leva-se ao forno a corar.




Bom apetite.......


.

sábado, 2 de março de 2013

A base esta no molho, ou melhor um bom molho à bolonhesa é a base para bastante imaginação






Provavelmente a bolonhesa é das receitas mais conhecidas, e a sua base serve para bastantes pratos, para uma lasanha, para um empadão, pode usar-se numa pizza e por fim podemos fazer uma massa com ela. A bolonhesa é sem sombra de duvidas bem completa e versátil, temos de fazer apenas pequenas adaptações para cada tipo de receita. A base é esta, depois conforme os pratos podemos fazer pequenas alterações
O molho bolonhês é originário da gastronomia Italiana mas rapidamente se espalhou por todo o mundo.

Ingredientes:

2 colheres de chá de azeite
2 dentes de alho picados
2 cebolas picadas
1 folha de louro
50 ml de vinho branco
1 kg de carne picada
800 g de tomate em lata
200 g de concentrado de tomate
1 copo (250 ml) de caldo de carne
sal e pimenta preta 
Aipo e cenoura
1 colher de sopa de orégãos
1 colher de sopa de ervas provençais



Preparação:

1-Descasque as cebolas e os alhos, pique-a finamente e leve a refogar com o azeite e a folha de louro, quando estiver junte as especiarias.

2-Adicionar o vinho branco.

3-Adicione de seguida a cenoura e a carne picada e tempere com sal e pimenta.

4-Junte o tomate pelado e o concentrado de tomate e deixe refogar

5-Deixe a carne refogar uns 30 minutos e depois juntar o aipo

7-Quando a carne já estiver refogada junte as ervas provençais


Pode congelar para depois usar em variadíssimas refeições


Bom apetite...........